IR al BLOG
Publicado en
OTT
10/9/2021

PVOD é o futuro da indústria cinematográfica?

Recentemente, dissemos que nos últimos dois anos, a adoção de serviços de streaming disparou e isso deu origem ao surgimento de novos modelos de monetização híbridos nas principais OTTs e a uma maior disposição dos provedores de serviço para experimentar esses modelos.


O termo PVOD (Premium Video On Demand) refere-se à versão Premium do TVOD (Transactional Video On Demand) que compete a conteúdo exclusivo, geralmente filmes exclusivos que são acessados ​​apenas em uma plataforma com um pagamento adicional. Esse modelo de monetização começou a se firmar com o fechamento das salas de cinema no início da pandemia.


Os constantes confinamentos atingiram duramente a indústria cinematográfica. Segundo a Forbes, se em 2019 o setor gerou US $42,3 bilhões em vendas, em 2020 atingiu apenas US $12 bilhões. Uma queda imensa.


Embora a indústria cinematográfica tenha caído globalmente, o entretenimento digital cresceu 31%. As pessoas procuravam consumir conteúdo audiovisual e o encontravam em serviços de streaming e OTTs como Netflix, Hulu, Amazon Prime Video e Disney +, entre outros.


Por isso, grandes players do setor buscam fórmulas que possam complementar a receita com a venda de ingressos no cinema e também deixar de adiar títulos de filmes nos quais já investiram tempo e dinheiro.


Um dos mais relevantes foi o Disney +, que implementou 'Premier Access', um tipo de VOD Premium no qual lançou seus mais recentes títulos como 'Mulan', 'Cruella', 'Raya e o último dragão', 'Jungle Cruise 'e' Black Widow '. Dessa forma, aproveita o apetite que seus 100 milhões de assinantes têm por conteúdos exclusivos que não podem ver diretamente nos cinemas.


Somente com 'Viúva Negra’, a Disney gerou US $60 milhões em seu fim de semana de estreia. Uma soma não desprezível, especialmente se considerarmos que eles não devem dividir esses lucros com os cinemas.

Com esses números, o modelo PVOD torna-se uma opção viável para grandes estúdios. Sobretudo tendo em em vista que nem todo o público quer regressar aos cinemas devido à pandemia e outra percentagem simplesmente prefere desfrutar dos conteúdos no conforto da sua casa.


Veremos em breve uma adoção massiva do PVOD por outros estúdios? Isso ainda será visto nos próximos meses. Por enquanto, o CEO da Disney, Bob Chapek, diz: 'Se o Premium Access será ou não uma parte importante de nossa estratégia no futuro, realmente dependerá dos consumidores. Eles votam com o bolso e vão nos dizer como querem ver os filmes e nós responderemos ao consumidor. '


Disney + não é a única plataforma que experimentou estreias em sua plataforma. A HBO Max já fez isso com ‘Mulher Maravilha 1984’, estreando em seu serviço no mesmo dia que nos cinemas.


A Universal Studios deu outro rumo ao filme 'Trolls 2, por não ter serviço próprio, disponibilizou o filme para aluguel em outros serviços como a iTunes Store no mesmo dia do lançamento e obteve receitas espetaculares de mais de $100 milhões de dólares.


No momento, só temos que esperar para ver se o PVOD ou outros modelos se tornarão massivos no futuro para trazer o conteúdo mais recente da indústria diretamente para as plataformas no mesmo dia de sua estreia. Se os estúdios optarem por voltar a um modelo mais tradicional ou a indústria cinematográfica vai se adaptar e ter estreias para o cinema e outras exclusivas do PVOD.


O que está claro é que os avanços na tecnologia de streaming permitem a distribuição segura de conteúdo ao vivo e sob demanda com a mais alta qualidade, garantindo a melhor experiência do usuário. Isso, junto com o modelo de monetização correto em OTT, é a chave para um bom projeto. Se for OTT's e streaming, a Mediastream tem experiência necessária para te ajudar.

entre em contato
Mediastream

Últimos Posts

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência no nosso site e gravar as informações quando você nos solicita um contato. Ao acessar o site Mediastream você concorda com a utilização desses recursos. Para mais informações confira nossa Política de Privacidade.
Concordo